Início»Criptomoedas»Depois do Google e Facebook, Twitter pode ser o próximo a proibir anúncios de criptos

Depois do Google e Facebook, Twitter pode ser o próximo a proibir anúncios de criptos

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Seguindo um dos gigantes da tecnologia (Google) e da plataforma de redes sociais (Facebook), o Twitter agora está pensando em proibir as ofertas de criptomoedas, ofertas de moeda inicial (ICO) e de token em sua plataforma.

Anúncio

Uma nova política de publicidade será implementada nas próximas semanas para proibir propagandas de ofertas de moedas iniciais (ICOs), vendas de token e carteiras de moedas digitais globalmente. O Twitter também poderá proibir todos os anúncios para exchanges com algumas exceções limitadas, quando a política for lançada.

O Facebook e o Google anunciaram uma proibição semelhante anteriormente. Em 14 de março, o Google anunciou a proibição a partir de junho de 2018. A mudança faz parte de sua nova política de produtos financeiros restritos.

O Google disse que atualizaria a política de serviços financeiros para restringir o anúncio de negociação forex e propagação financeira em junho. Além disso, os anúncios de opções binárias e produtos sinônimos, criptomoedas e conteúdo relacionado também não serão permitidos no Google.

Em janeiro, a Facebook, a maior rede de social do mundo, adicionou uma nova política de publicidade e proibiu toda a propaganda para moedas digitais dizendo que elas são frequentemente associadas a práticas promocionais enganosas.

Leia Também:  Google proíbe aplicativos de mineração de criptomoedas na Play Store

Depois que vários países expressaram ansiedade sobre o curso legal das criptomoedas, muitos bancos e instituições financeiras começaram a iniciar medidas para desencorajá-lo, ao não permitir que seus cartões de crédito e débito fossem usados para as transações destas moedas.

Houve relatos de proibição de compras de bitcoin e outras moedas digitais nos cartões de crédito JPMorgan Chase & Co., Bank of America e Citigroup Inc. nos EUA.

De acordo com o relatório The Guardian no Reino Unido, o Lloyds Banking Group, que inclui Halifax, MBNA e Bank of Scotland, proibiu os clientes de cartões de crédito de comprar bitcoin.

Siga-nos nas redes sociais
Canal no Telegram Siga-nos no Facebook Acompanhe nosso Twitter Siga-nos no Instaram
Artigo anterior

Coca-Cola usará blockchain para inibir o trabalho forçado

Próximo artigo

MasterCard ver com bons olhos criptomoeda estatal

Nenhum Comentário

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.