Fraude de criptomoeda de US$ 5 milhões fez desse cara um dos maiores clientes da AWS

Alegada fraude de criptomoeda de US$ 5 milhões fez desse cara um dos maiores clientes da AWS

Um homem de Cingapura enfrenta mais de 30 anos de prisão por se disfarçar de desenvolvedor de jogos na Califórnia para obter ilegalmente poder de computação em nuvem para minerar criptomoedas, revelou uma investigação por fraude de criptomoeda do FBI.

As autoridades norte-americanas indiciaram Matthew Ho, 29, com 14 acusações relacionadas ao seu golpe de longa duração, que supostamente envolveu roubo de identidades e cartões de crédito para adquirir serviços dos principais provedores norte-americanos Amazon Web Services (AWS) e Google Cloud Services.

De acordo com uma versão do Departamento de Justiça (HoJ), Ho consumiu mais de US$ 5 milhões em serviços de computação em nuvem não pagos entre outubro de 2017 e fevereiro de 2018 – um período de tempo de apenas alguns meses.

A extensão da operação supostamente fez de Ho um dos maiores consumidores de dados em volume da AWS por um curto período de tempo.

Isso foi possível devido à criação de Ho de uma “rede de contas de e-mail falsas”, combinada com técnicas de engenharia social, para convencer os provedores de computação em nuvem a adiar o faturamento e aprovar privilégios de conta aumentados, que concederam acesso a mais poder de processamento e armazenamento.

Fraude de criptomoeda de US$ 5 milhões fez desse cara um dos maiores clientes da AWS
Fraude de criptomoeda de US$ 5 milhões fez desse cara um dos maiores clientes da AWS.

Em particular, os documentos de acusação mostram que Ho usou os apelidos “Prefinity” e “Ethereum Vendor” para vender a criptomoeda gerada ilegalmente por meio de mercados peer-to-peer LocalBitcoins e LocalEthereum. Ele também disse ter usado o Facebook para solicitar novos negócios.

“Algumas das contas foram pagas pela equipe financeira do desenvolvedor de jogos da Califórnia antes que a fraude fosse detectada”, disse o Departamento de Justiça. “Ho também usou as identidades de um residente do Texas e o fundador de uma empresa de tecnologia na Índia […], que ele também usou como parte de sua operação de mineração de criptomoedas.”

Ho também é acusado de ter cobrado centenas de milhares de dólares nos cartões de crédito de sua vítima, que eles pagaram antes de realizar a fraude.

Se considerado culpado em todos os aspectos, Ho enfrenta mais de 30 anos de prisão. Ele agora está sob custódia da polícia de Cingapura, sob investigação por vários supostos crimes cometidos sob a lei de Cingapura.

Traduzido e adaptado de: thenextweb.com

Deixe um comentário