Line está declaradamente lançando uma exchange de criptomoedas em breve

Line está declaradamente lançando uma exchange de criptomoedas em breve

A companhia de mensagens japonesa Line Corp está se preparando para lançar uma exchange de criptomoedas, dias depois que o gigante da tecnologia Facebook anunciou o lançamento do Libra.

De acordo com a Bloomberg, que cita pessoas próximas ao assunto, a Line pode receber sua licença este mês, com operações de câmbio esperadas para começar algumas semanas depois de receber a luz verde.

A exchange será chamada de BitMax (não confunda com a BitMEX, uma exchange de longa data) e permitirá que 80 milhões de usuários da Line no Japão comprem e comercializem criptomoedas como Bitcoin e Link (não $ LINK), o token da empresa.

Depois da exchange MT Gox, que em 2014 desapareceu com todos os fundos de seus clientes quando controlava mais de 70% das transações da Bitcoin em todo o mundo – o relacionamento do Japão com criptomoedas tem sido tumultuado para dizer o mínimo.

Embora o mais notório, o Mt Gox não é a única exchange de criptomoeda japonesa a desaparecer com os fundos dos clientes.

Mais recentemente, o Coincheck sofreu uma quebra de US$ 530 milhões em janeiro. Embora inicialmente pensado para ter sido realizado por hackers norte-coreanos, um relatório recente agora coloca a culpa na Rússia.

Line está declaradamente lançando uma exchange de criptomoedas em breve
Line está declaradamente lançando uma exchange de criptomoedas em breve.

Esforços do Japão para regular as criptomoedas

Depois de lutar para tomar uma decisão em termos de como se aproximaria das criptomoedas, a Agência de Serviços Financeiros do Japão (FSA, na sigla em inglês) deu sinal verde para a indústria se regularizar em outubro do ano passado.

Alguns meses depois, em dezembro, relatórios sugeriram que o país havia visto mais de 6.000 casos de lavagem de dinheiro envolvendo criptomoeda nos primeiros nove meses do ano.

A tendência continuou até o final do ano. De fato, conforme relatado anteriormente pela Hard Fork, durante os últimos três meses de 2018, os reguladores financeiros receberam mais de 1.000 casos relacionados à criptomoeda, elevando o total para o ano para 7.096.

Em abril deste ano, a FSA invadiu duas exchanges de criptomoedas para impor regras contra a lavagem de dinheiro.

Se a Line leva a sério o atendimento ao mercado japonês, precisará conquistar sua confiança, o que não é uma tarefa fácil, considerando a problemática história do país com criptomoeda.

Traduzido e adaptado de: thenextweb.com

Deixe um comentário