Início»Criptomoedas»Série: As principais Criptomoedas do Mundo – EOS

Série: As principais Criptomoedas do Mundo – EOS

3
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Dando continuidade a nossa série onde abordamos os conceitos básicos das principais criptomoedas do mundo, hoje iremos descobrir os conceitos da EOS, a criptomoeda que promete bater de frente com o Ethereum.

EOS é uma plataforma blockchain para o desenvolvimento de aplicações descentralizadas conhecidas como “dapps”, similar ao Ethereum. Ela facilita o desenvolvimento de um dapp, fornecendo um conjunto de serviços e funções semelhantes aos sistemas operacionais que os dapps podem usar.

A ideia por trás da EOS é reunir os melhores recursos e promessas das várias tecnologias de contrato inteligente (por exemplo, a segurança do Bitcoin e o suporte de computação da Ethereum) em uma plataforma de aplicações decentralizada simples de usar e escalável para o usuário diário.

A EOS promete ser uma concorrente real, diminuindo a barreira para a entrada para desenvolvedores e outros buscando soluções em blockchain.

Como funciona a EOS

A visão da EOS é construir uma plataforma blockchain dapp que pode escalonar de maneira segura e suave a milhares de transações por segundo, tudo ao mesmo tempo em que fornece uma experiência acessível para desenvolvedores, empreendedores e usuários de aplicativos. Seu objetivo é fornecer e completar o sistema operacional para aplicativos descentralizados voltados para a Web, fornecendo serviços como autenticação de usuários, armazenamento em nuvem e hospedagem de servidores.

A rede EOS é uma plataforma pronta para aplicativos que permite aos desenvolvedores acessar um sistema de autenticação completo. As contas de usuário, completas com diferentes níveis de permissão e seus próprios dados de usuário protegidos localmente, são um recurso da rede. As atualizações mais recentes do EOS permitiram o acesso compartilhado ao banco de dados entre as contas e a capacidade de armazenar dados do usuário em uma máquina local fora da blockchain.

A recuperação de contas roubadas também é incluída no sistema, com vários métodos para comprovar sua identidade e restaurar o acesso a uma conta comprometida.

A hospedagem de servidores e o armazenamento em nuvem também fazem parte do sistema EOS, o que significa que os desenvolvedores de aplicativos podem criar e implantar aplicativos e interfaces da Web com hospedagem, armazenamento em nuvem e largura de banda de download fornecida pelo sistema EOS. Isso abre os desenvolvedores para trazer suas ideias para a realidade, sem as demandas de segurança de armazenamento e largura de banda.

O desenvolvedor terá acesso à análise de uso para armazenamento e largura de banda diretamente da EOS e poderá definir limites para aplicativos específicos para os níveis que escolher. Esses serviços são pagos com os tokens EOS.

Uma Blockchain baseada em eventos

Os blockchains mais comuns (pense em Bitcoin e Ethereum) usam “consenso sobre o estado”, significando que a qualquer momento todos os computadores na rede podem verificar o estado atual de toda a blockchain para evitar fraudes e confirmar transações. A blockchain nesses casos é um gráfico do estado do sistema e, quando cada novo bloco é adicionado a blockchain, os nós da rede obtêm cada transação do bloco e atualizam o estado de cada endereço associado a essas transações.

Ao usar o consenso sobre eventos, o foco é nas transações (ou simplesmente mensagens), em oposição ao estado. Em vez de verificar o estado da rede a qualquer momento, os nós verificam a série de eventos que ocorreram até agora para acompanhar o estado da rede. O resultado é um sistema que leva mais tempo para reconfirmar completamente o histórico de transações quando é reiniciado, mas pode manipular um rendimento muito maior de transações durante a execução.

O que isso significa em linguagem simples é que a rede EOS pode escalonar para um milhão de mensagens ou transações por segundo em uma única máquina, com escala teoricamente infinita possível em paralelo entre várias máquinas.

Além disso, um aplicativo construído sobre a plataforma EOS não requer micropagamentos por usuários finais para enviar mensagens e executar tarefas na blockchain. Isso fica a cargo dos desenvolvedores de aplicativos individuais para determinar como as taxas de transação (que são extremamente baixas) serão pagas, o que significa que as empresas têm liberdade para criar suas próprias estratégias de monetização e oferecer gratuitamente ou não o serviço de seus usuários.

Correção de erros rápido e eficiente

O sistema EOS fornece um modelo de governança baseado em produtores de bloco. Esses produtores podem votar em quais transações são confirmadas, como também se um aplicativo está sendo executado corretamente e também em alterações no código-fonte de aplicativos individuais, bem como no próprio sistema EOS. Isso significa que a comunidade pode atualizar ativamente, fazer downgrade e corrigir erros no sistema de maneira democrática e segura.

O sistema também reduz a latência e maximiza o desempenho, estruturando cada bloco (que atualmente são produzidos a cada 3 segundos). Adentrando ainda mais no processo, você encontrará os “Ciclos”, que são executados sequencialmente. Esses ciclos são, por sua vez, estruturados em “threads” que são executados em paralelo dentro dos ciclos. Em outras palavras, isso permite que mensagens e transações sejam enviadas e respondidas dentro de blocos únicos e entre blocos, trazendo o limite inferior teórico para o tempo de resposta até simplesmente o tempo de transmissão de mensagens sobre a rede.

Apesar disso soar técnico demais, ainda existe uma infinidade de recursos e processos que a EOS executa em seu protocolo. Mas seria complexo demais explicar tudo aqui.

Roteiro, equipe e comunidade

O projeto EOS está sendo desenvolvido por uma empresa chamada Block One, liderada por Dan Larimer (co-fundador da Bitshares e Steemit) e Brendan Bloomer. Ambos fornecem uma experiência séria no mundo das criptomoedas e têm sido publicamente ativos na promoção da tecnologia como um todo, além de seus próprios projetos.

A equipe da EOS está alinhada com o roteiro proposto no início deste ano e continua a se concentrar no desenvolvimento com grande velocidade. O lançamento do EOS Dawn 1.0 foi feito em 14 de setembro de 2017. Já o lançamento do Dawn 2.0 trouxe rastreamento de recursos e comunicação inter-blockchain em 4 de dezembro de 2017 e o lançamento do Dawn 3.0 está previsto para o Spring 2018 e é o primeiro lançamento oficial do sistema.

A comunidade por trás da EOS é vibrante e global, com muito amor de investidores e colaboradores. Os encontros são comuns, a arte está sendo criada, o grupo Telegram está ativo e as comunidades EOS podem ser encontradas no Facebook, Twitter e Steemit. No geral, há muito hype e muita empolgação.

Siga-nos nas redes sociais
Canal no Telegram Siga-nos no Facebook Acompanhe nosso Twitter Siga-nos no Instaram
Artigo anterior

Empresa de Blockchain para indústria de cannabis anuncia datas de sua ICO

Próximo artigo

Máquina de cerveja com verificação de idade baseada em Blockchain

Nenhum Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.