Dois sul-coreanos condenados por fraude de US$ 20 milhões em Bitcoin

Dois homens da Coreia do Sul foram condenados por administrar um esquema de pirâmide de bitcoin que roubou cerca de 20 bilhões de won coreanos (US$ 20 milhões) de investidores.

Um juiz do Tribunal Distrital de Incheon, em Seul, multou os dois homens em US$ 15 milhões e US$ 8 milhões, respectivamente. De acordo com um relatório divulgado.O esquema começou em 2015 e acabou por se tornar uma empresa multinível, prometendo altos retornos aos investidores por meio de investimentos em bitcoin.

“A transação multinível é um risco para a ordem socioeconômica, com a produção em massa de muitas vítimas”, disse o juiz, segundo o relatório.

O potencial para o bitcoin ser usado para enganar investidores tem sido uma preocupação primordial para muitos países. Apenas nesta semana, a polícia chinesa prendeu os fundadores de um esquema nacional de pirâmide de criptomoedas que acumulou US$ 13 milhões de mais de 13.000 pessoas.

Segundo relatos, os planejadores disseram que aqueles que investiram 3 milhões de yuans poderiam ganhar 80.000 yuans por dia. A notícia vem poucos meses depois de o país lançar uma iniciativa para identificar golpistas de criptos.

E no mês passado, um tribunal federal dos EUA reprimiu quatro pessoas por trás de um esquema de pirâmide de criptomoedas.

De acordo com uma queixa da Federal Trade Commission (FTC), o acusado violou sua proibição contra atos enganosos ao alegar que três esquemas de encaminhamento em cadeia poderiam gerar receitas substanciais para os participantes.

Três dos réus (Thomas Dluca, Louis Gatto e Eric Pinkston) promoveram esquemas conhecidos como Bitcoin Funding Team e My7Network usando sites, YouTube, mídias sociais e teleconferências, alegando que a Bitcoin Funding Team poderia transformar $ 100 em bitcoins em uma renda mensal de US$ 80.000.

“Este caso mostra que os golpistas sempre encontram novas maneiras de comercializar esquemas antigos, e é por isso que a FTC permanecerá vigilante independentemente da plataforma, ou moeda usada”, disse Tom Pahl, diretor interino do Bureau of Consumer Protection da FTC. “Os esquemas que os réus promoveram foram projetados para enriquecer os que estão no topo à custa de todos os outros.”

Compartilhe este post

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário